• Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube

Diego diz que audiência pública do VLT foi um "circo montado" por prefeito, após ser vaiado

O vereador Diego Guimarães (Cidadania) foi vaiado por um grupo de apoiadores do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), que lotou a galeria da Assembleia Legislativa, durante audiência pública, nesta quinta-feira (4).


Classificados comoà mando do prefeito Emanuel Pinheiro(MDB), eles gritavam que eram a 'voz do povo' e defendiam a todo o momento o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT).


O grupo composto por pelo menos 50 pessoas batia palmas para quem defendia o VLT e vaiava os parlamentares que defendiam o BRT. E por várias vezes atrapalhou o andamento da sessão e, assim, que o prefeito deixou a Casa de Lis, o grupo também foi embora.


O vereador acredita que a audiência pública para debater a mudança do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), perdeu sua finalidade. O parlamentar acredita que teria havido um acordo entre o prefeito de Cuiabá e o deputado estadual Valdir Barranco (PT), já que foi o deputado quem propôs a audiência.


Um dos pontos colocados pelo vereador é o fato de que a audiência seria realizada, inicialmente, de forma virtual, mas, na noite desta quinta, transformou-se em presencial. Segundo ele, a mudança não foi comunicada a ninguém além do prefeito Emanuel Pinheiro, que convocou diversos vereadores da base para lotarem o plenário da Assembleia Legislatura.


"O que eu percebo é que o que temos montado aqui na Assembleia Legislativa me parece um acordo entre o deputado e o Emanuel Pinheiro. É um grande palco para que o prefeito se valha disso, para querer defender a derrubada da decisão que foi feita pelo Governo do Estado", avaliou o vereador.


O fato também foi um ponto de crítica feito pelo secretário chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho. Segundo ele, caso soubessem da reunião presencial com antecedência, o governo também se organizaria para comparecer "em peso" na audiência.


A colocação, porém, foi descredenciada por Barranco e outros políticos presentes, como o vereador Renivaldo Nascimento (PSDB). A sugestão de Diego se fundamenta na nomeação de Roseli Barranco, esposa do deputado, como coordenadora de Saúde Bucal da Capital, um cargo em comissão.


Ainda segundo o vereador, ele teve acesso a estudos técnicos entregues na Câmara e garante que os documentos apontam maior viabilidade para a implantação do Bus Rapid Transit (BRT).


O Bom da Notícia procurou a assessoria da Prefeitura de Cuiabá que não se manifestou sobre as acusações do vereador.


Plebiscito


Conforme noticou O Bom da Notícia, acatando a uma sugestão de seu filho, deputado federal Emanuelzinho (PTB), o prefeito Emanuel Pinheiro defendeu um plebiscito para que a população de Cuiabá e Várzea Grande decidam por meio votos a implantação do VLT ou a modificação do modal inacabado para BRT.


O deputado federal Emanuelzinho, em seu tempo de fala, além de apontar que o Governo do Estado está sendo autoritário em querer decidir sobre a mobilidade urbana da região metropolitana de Cuiabá, sugeriu o plebiscito.


A ideia foi bastante elogiada pelo pai, que de pronto, pediu para que tanto Barranco, quanto os deputados estaduais presentes, consiga oito assinaturas para que o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT) promova uma votação para a população decidir qual modal o Estado irá fazer.


“Se conseguir as oito assinaturas é como acontece em CPI. Não precisa nem aprovar em plenário... De nossa parte, acabou. Eu quero que a população de Cuiabá seja contemplada e eu me sinto contemplado como prefeito, com a proposta do deputado federal Emanuelzinho. O Plebiscito atenderá a todos”, disse.


O prefeito desde que foi reeleito tem defendido a continuidade da obra do VLT em Cuiabá e Várzea Grande. Já o governador Mauro Mendes (DEM) é contrário e definiu no final do ano passado que mudará o modal para o BRT.

Fonte: O Bom da Notícia

DIEGO GUIMARÃES

Praça Barão de Melgaço,
s/n - Centro, Cuiabá - MT,
CEP: 78020-400.
Fone: (65) 3617-1513

® 2021 Por Thayson Claudio

Cuiabá precisa de bons políticos.