• Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube

VOTE 23444

DIEGO GUIMARÃES

Coligação Cuiabá para Pessoas

Podemos - Cidadania - PSC
CNPJ: 38.735.456/0001-72

® 2020 Por Coningham & Siqueira

Cuiabá precisa de bons políticos.

Vote em Diego Guimarães 23444.

Candidato à reeleição, vereador Diego Guimarães não pede votos aos sábados

Mesmo na corrida eleitoral, o vereador Diego Guimarães (Cidadania) que busca a reeleição e é Adventistas do Sétimo Dia de berço, mantém o princípio bíblico de guardar o sábado não pedindo votos do pôr-do-sol de sexta-feira até o pôr-do-sol de sábado.


Para os adventistas a observância do sábado de acordo com a bíblia foi o dia em que Deus estabeleceu para que fosse um “memorial do Criador” e um “memorial da Criação”. Pelas escrituras, Deus, ao terminar o mundo em seis dias, estabeleceu um dia – o sábado – para que o ser humano parasse com suas atividades e repousasse em sua companhia.


Diego que desde criança vivencia a religião, lembra da importância de manter esse dia para estudar o evangelho e também estar com a família. “Mesmo nesse período eleitoral eu não me esqueço da minha ligação com Deus e da minha família. Esse momento é muito importante para mim. Eu e todos que trabalham comigo nessa caminhada em busca da reeleição são orientados a parar nesse dia e estarem com seus familiares. Pedir voto é importante, mas a família e Deus é muito mais”, explica o vereador.


Atualmente duas leis estão vigentes no município de Cuiabá que garantem a realização de atividades para alunos e concurseiro sabatistas em dias alternativos. As leis são de autoria de Diego que quando estudante não pode fazer alguns concursos e atividades escolares, uma vez que eram realizadas aos sábados.


As leis estabelecem que as provas quando promovidas por entidades da administração pública direta ou indireta, de qualquer dos Poderes do município de Cuiabá, serão realizadas aos domingos. Além disso, a outra lei já vigente em Cuiabá obriga a secretaria de educação do município a proporcionar as atividades em dias ou horários alternativos ao período de guarda religiosa.


O vereador explica que a Constituição Federal assegura que ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política. “As leis conciliam a necessidade de realização do concurso público e atividades escolares, sem que os sabatistas sejam impedidos de participar desses processos por razões religiosas”, ressalta Diego Guimarães.